O DIREITO A ÁGUA E O DIREITO DA ÁGUA: É UM DIREITO DA VIDA

O DIREITO A ÁGUA E O DIREITO DA ÁGUA: É UM DIREITO DA VIDA

O DIREITO A ÁGUA E O DIREITO DA ÁGUA: É UM DIREITO DA VIDA

AO POVO DE CORRENTINA

A SABEH – Sociedade Brasileira de Ecologia Humana, não poderia deixar neste momento histórico de vir apoiar a população de Correntina na luta pelo direito a água. O contexto de conflitos socioambientais existentes na Bacia do São Francisco, enfatizando a situação da crise hídrica existente na Bacia do Rio Corrente em razão de fatores como os impactos da ação dos grandes empreendimentos, especialmente os do agronegócio e a insuficiência na implementação dos Instrumentos de Gestão das Águas.

Desde os anos 70 a população de Correntina no Oeste da Bahia no Nordeste do Brasil vem sofrendo com inúmeros conflitos causados por grilagens, invasões de terras, pistolagens, altos níveis de desmatamento, destruição de mananciais e expulsão de inúmeros Povos e Comunidades de seus territórios tradicionais que habitam no Cerrado. Inúmeras audiências e denúncias públicas nacional e internacional já foram realizadas. Mas, a ação do capital através do agronegócio, não se intimidou nem assume sua culpa, menos ainda o Estado Brasileiro que investe recurso público para implantação dos megaprojetos.

Essa região está inserida na chamada MATOPIBA, projeto governamental de incentivo a produção de grãos e pecuária para exportação, que envolvem os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia – atual fronteira agrícola brasileira, onde estão localizados os últimos remanescentes de Cerrado no Brasil. É nesta região onde se encontram os rios Carinhanha, Corrente e Grande, suas nascentes, subafluentes e afluentes, principais contribuintes com as águas do rio São Francisco. A destruição destes rios e nascentes vem provocando impactos irreversíveis a biodiversidade e as populações locais.

A população de Correntina entende que sem biodiversidade, sem rios e nascentes, sem florestas e sem territórios estarão fadados ao desaparecimento.  A região já está com mais de 62,5% da vegetação nativa desmatada, segundo dados do IPAM – Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia. Ainda, segundo o IPAN, O Cerrado é a savana brasileira que cobre aproximadamente 24% (dois milhões de km2) do território nacional. Este bioma é responsável por funções ecológicas essenciais, como o equilíbrio hidrológico, a biodiversidade e os estoques de carbono, que são mutuamente dependentes.

Para isto, a população cansou e vem reagindo frente a omissão do Estado Brasileiro, com inúmeras manifestações, protestos, denúncias e audiências públicas, por causa disto a mídia os chama de terroristas. A população de Correntina não pode ser criminalizada, porque são elas as vítimas da ação do capital financiado pelo Estado que intensifica a violência e a destruição da população e da natureza. O Povo de Correntina hoje, é um símbolo de rebeldia em favor da Vida, da Natureza, das Águas, do Cerrado Brasileiro e do Rio São Francisco.

A SABEH, defende o direito do Povo pela Água e defende o Direito da Água de cumprir sua função ecológica na vida que compõe o Planeta. Apontamos o etnovídeo para que você entenda a luta do Povo em defesa da Água.

(https://www.youtube.com/watch?v=iFTosuHoiw0&t=8s).

 

Alzení Tomáz

Presidente da SABEH

Paulo Afonso, novembro de 2017.

7 Responses to "O DIREITO A ÁGUA E O DIREITO DA ÁGUA: É UM DIREITO DA VIDA"

  • I just want to say I’m all new to blogging and site-building and absolutely loved this web site. Very likely I’m planning to bookmark your site . You really come with wonderful well written articles. Appreciate it for revealing your blog site.

  • I just want to tell you that I am newbie to blogging and site-building and honestly enjoyed this page. Likely I’m planning to bookmark your blog post . You absolutely have superb stories. With thanks for sharing your blog.

  • I just want to say I am newbie to blogging and site-building and definitely loved your blog. More than likely I’m planning to bookmark your website . You surely come with wonderful posts. Thanks a lot for sharing with us your website.

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *