ECOLOGIA HUMANA PELA DEMOCRACIA

ECOLOGIA HUMANA PELA DEMOCRACIA

“Queriam que eu falasse do agora, mas, o presente que procuro

está preso em um passado que insiste em ser futuro”

Mauro Iasi

A profunda crise na escalada fascista em que o Brasil se inclinou possui raízes profundas, para entende-la é necessária uma rigorosa arqueologia da nossa modernidade que passa pela política, pela teologia, pela história, pela filosofia, pela escatologia. No entanto, não dispomos de tempo para isto, pois temos em jogo o destino dos Povos indígenas, quilombolas, mulheres, LGBTTQI+, negros, os mais pobres desta nação, os direitos fundamentais da pessoa humana. Estão em jogo o ambiente da vida, a ecologia, a Amazônia, o Semiárido, o direito à liberdade, o direito a livre manifestação. Tudo isto, para instalar uma barbárie em nome de uma política de morte, que persegue, criminaliza e mata.

Interessa-nos neste momento histórico alertar para os desafios internos e geopolíticos que o Brasil ascende, institucionalmente, por dentro do Estado liberal, através de um bloco histórico que tradicionalmente reuniu fascistas, liberais e conservadores, entre os quais se destacaram o militarismo e o conservadorismo religioso católico e neopentecostal.

Os erros históricos acometidos por partidos políticos não podem ser pretextos para o caminho da barbárie. A mobilização das forças conservadoras que alimentam as frustrações humanas e ameaçam a vida e o tempo histórico, torna irrelevante a existência da diversidade humana e naturaliza a violência.

Ao acirrar as contradições apresentando alternativas como a extinção do Ministério do Meio Ambiente, reduzir multas de desmatamentos, entregar a Amazônia para mineradoras, reduzir área protegidas em favor do latifundiarismo, reduzir territórios indígenas, permitir a caça, eliminar o ativismo e ainda ser cético diante às mudanças climáticas, de forma a incitar o ódio e a violência, tudo isso com a omissão do poder judiciário em nome de uma eleição, é percorrer por sobre trilhos anticivilizatórios.

A Ecologia Humana perpassa por todos os campos do ser humano e suas relações ecológicas. Nós da SABEH acreditamos, que para entender e construir as possibilidades da sustentabilidade em todas as suas dimensões é necessário garantir aos humanos a democracia como princípio da civilidade planetária.

Diretoria e Coordenação da Sociedade Brasileira de Ecologia Humana – SABEH, em 16/10/2018.

Response to "ECOLOGIA HUMANA PELA DEMOCRACIA"

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *